O Crime do Padre Amaro

9 ago

Hoje eu vou postar sobre o livro “O crime do Padre Amaro” do escritor português Eça de Queirós. Existe um filme baseado nesse livro, dirigido por Carlos Carrera, um filme mexicano lançado no México em 2002 e no Brasil em 2003. O resumo abaixo é sobre o livro (mas não tem muita diferença do filme), espero que gostem.

Amaro é designado para servir em Leiria, hospedando-se na casa da beata S. Joaneira, que tem uma bela filha, Amélia, que está acostumada a ver sua casa frequentada por padres [principalmente pelo cônego Dias, que as auxilia economicamente] que jogam baralho, fumam. Enfim, são homens normais, como todos os demais.

Embora noiva de João Eduardo, Amélia inicia um minucioso e interessante processo de sedução, envolvendo o jovem sacerdote, que, reciprocamente, atira também seus laços, cativando a moça. Enciumado, o noivo anonimamente publica em jornal um artigo em que ataca o clero e insinua o caso do padre Amaro com Amélia. Amaro, para afastar suspeitas, consegue uma casa e muda-se, evitando encontrar-se com a moça. Mais tarde, descobre o autor do artigo e denuncia à jovem, colocando-a contra o noivo. Amaro volta a frequentar a casa de S. Joaneira, onde é recebidos por todos com entusiasmo.. O processo de recíproca sedução reinicia-se com intensidade. Amaro frequenta a casa com regularidade, Durante o jogo de cartas o braço de Amélia ‘roçava o ombro do pároco: Amaro sentia o cheiro de água-de-colônia que ela usa com exagero.’

Amaro saía sempre mais apaixonado por Amélia. A sua impaciência o levava a fazer acusações contra o Celibato e a Igreja. Já não dormia mais direito. O relacionamento amoroso acaba acontecendo e a moça engravida. Como essa criança não deve viver, o padre contrata uma mulher para que isso não aconteça. A situação complica-se, causando a morte de Amélia. Posteriormente o padre, aparentemente sem remorsos, trata de sua transferência para Vila Franca, que fica mais perto de Lisboa. No último capítulo, ‘nos fins de Maio de 1871’, em Lisboa, quando a população agitava-se nas ruas com as notícias da comuna de Paris, o padre Amaro e o cônego Dias encontram-se e abraçam-se com alegria, comentando a transferência do padre e algumas ‘fofocas’ de Leiria.

Bem, faz um tempo que não posto aqui mas voltei e pretendo postar mais frequentemente.
Milhões de beijos literários.

                                                                                                  -Angelina                                                                                          Image 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: