Dois livros de Markus Zusak

6 ago

Eu ia fazer um post mostrando apenas um livro do autor Markus Zusak, mas pesquisei mais sobre ele e acabei descobrindo um outro livro que me encantou então…. porque não falar dos dois ?! O primeiro livro me chamou atenção pelo fato de uma menina depois de passar por um momento mega difícil roubar livros. Quer dizer, ela poderia roubar tantas coisas e por fim, roubou livros. Um objeto tão maravilhoso que nos permite entrar em mundos diferentes, que nos permite entrar na vida de personagens, enfim. LIVRO É BOM DE MAIS, certo?!

O outro livro me chamou atenção, porque chamou, oras ! Kkkkk… A ideia do personagem principal receber cartas de baralho pelo correio com pistas que pode ajudar na vida de pessoas… ? Isso foi o que me chamou atenção. Perceberam que a criatividade do autor sempre me bota pra pensar né ?!

Entrei no site do skoob e peguei o resuminho dos dois. Se liga aí

  • A Menina que Roubava Livros:  (…)Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, “O Manual do Coveiro”. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes.E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar.”

 

  • Eu sou o Mensageiro: “Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos. Trabalha, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e divide apartamento com um cão velho. O pai alcoólatra morreu há pouco; a mãe parece desprezá-lo.Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heróico tem conseqüência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma seqüência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas.Após certa hesitação, rende-se ao desafio. Misteriosamente levado ao encontro de pessoas em dificuldades, devassa dramas íntimos que podem ser resolvidos por ele. “

 

Bêzô quéridas !

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: